O Bom Pastor:

Formação do Clero da Arquidiocese de Braga

18.6.06

II Encontro Rotativo por Vigararias Territoriais


Na próxima Segunda feira, dia 19 de Junho, haverá o segundo Encontro da Formação do Clero da Arquidiocese de Braga. Depois de no dia 12 de Junho, em Balasar, o Bispo Auxiliar de Lisboa, Dom Manuel Clemente ter abordado a questão da Formação Humana e Espiritual com o tema: «Para mim viver é Cristo: a identidade sacerdotal hoje», nesta Segunda Feira, em Fafe (Igreja matriz) o biblista da Sociedade de Vida Apostólica Boa Nova, Doutor António Couto, vai falar da Formação Intelectual e Teológica, com o tema: «O Evangelista do Ano. Uma introdução a Marcos». No mesmo dia, no Salaõa S. Frutuoso, em Braga, o Cónego Manuel Joaquim abordará a Formação Litúrgica e Pastoral com o tema: «Todas as minhas fontes estão em Ti: ao ritmo diário da Liturgia das Horas». Os encontros começam às 9.30h. Em Fafe reunem-se os Arciprestados de: Terras do Bouro; Vieira do Minho; Celorico de Basto; Cabeceiras de Basto e Fafe. Em Braga reunem-se os Arciprestados de: Braga, Vila Verde, Póvoa de Lanhoso; Guimarães, Amares.

3 Comments:

  • Gostei muto deste blog. Tirem - me uma duvida: Para um candidato a Padre tem, obrigatóriamente, que ser teologo ou pode ser licenciado em Ciencias Religiosas.
    Nuno Cabral

    By Anonymous Anónimo, at 2:24 da tarde  

  • Quem quer seguir a missão sacerdotal é obrigado a tirar teologia ou pode optar por ciencias Religiosas.
    Nuno

    By Anonymous Anónimo, at 7:25 da tarde  

  • Caro Nuno
    quem deseja seguir o sacerdócio ministerial deve, segundo as normas canónicas pelas quais se rege a formação dos clérigos, ter uma sólida formação filosófica e teológica. Segundo as Normas da formação sacerdotal devem durar «ao menos seis anos completos, mas de modo que às disciplinas filosóficas se dediquem o tempo de um biénio completo, e aos estudos teológicos um quadriénio também completo» (cân. 250). Creio que, muito sinteticamente, é suficiente sublinhar isto. Em Portugal os candidatos ao sacerdócio ministerial que frequentam a Universidade Católica têm, obrigatoriamente, que obter a licenciatura em Teologia, a não ser que por especiais razões, o Bispo Diocesano os dispense disso. Não basta, portanto, o curso de Ciencias Religiosas. Contudo, há dioceses em que os seminaristas não frequentam a Universidade Católica e por isso os seus ministros sacros não têm sequer licenciatura em Teologia, mas a tal formação sólida em filosofia e teologia que é aquela ministrada pelos seminários.

    By Blogger o bom pastor, at 4:35 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home